Abençoados e o menino indiano





Tivemos há poucos dias a notícia de que lá na Índia um policial lançou um garoto para fora do trem em movimento. O menino só tinha para ofereceu-lhe alguns centavos como propina para continuar vendendo suas mercadorias no vagão. Policial não muito diferente dos nossos, aqui do Brasil. 
Consequencia: O dinheirim não foi aceito.

Preço da viagem: R$ 0,40. 
Resultado: uma perna amputada. E todos que são de bem e prezam pela justiça, revoltados.



A Indonésia é a todo momento varrida por ondas de maremotos e terremotos que a cada vez consome milhares de pessoas. Desabrigo, fome, perdas humanas, lacunas...


Nessas horas podemos nos confrontar com duas realidades. A graça está sobre todos, assim como a ausencia dela. 


Paro para pensar como muitos de nós, cristãos, evangelicos, brasileiros, nos sentimos tremendamente abençoados por Deus, por que aqui  não há terremotos ou outros cataclismas da natureza. Também nos sentimos superiores, filhinhos queridos do Papai porque temos liberdade religiosa etc. 


Mas gozaríamos realmente de certas benfeitorias de Deus, seriamos os escolhidos dentre tantas criaturas de Deus espalhados pelo mundo somente porque tais catástrofes não recaem sobre nós?


Dias após dia vamos a igreja, pedindo bençãos, "adoramos" a Deus no "momento de louvor", sorrimos para os nossos irmãos... crendo fielmente e agradecendo a Deus por sermos um país livre, por termos nossas vidinhas respaldadas por uma sociedade democrática e livre. 


Mas então, que incoerencia é essa de que Deus nos torna tão felizes e especiais enquanto outros se deparam com a miséria, a tragédia, o desespero? 


Incoerencia nossa, nao de Deus. Deus fez os homens livres, apesar de ter o destino da humanidade em sua mãos. O mundo é fruto do mau usufruto dos proprios homens, de suas más escolhas, mas também da permissão de Deus para que isso aconteça ou não. Homens maus, atitudes más. Quer queiramos ou não. No mundo sempre haverá justo e injusto, felicidades e tristezas. 


Também é certo que quem alcança a sabedoria e tem a paz divina jamais se sentirá desalentado do amor de Deus, mesmo que as coisas vão de mal a pior, mesmo em meio às tragédias. 


Sabemos também que mesmo tendo uma vida prazerosa e de bem-estar não nos será garantido o passaporte para os céus, nem o gozo pleno em Deus nesta vida. 


Gozo pleno e certeza de alma, só em Deus. 




.

2 comentários:

Jessé Almeida disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Jessé Almeida disse...

É maravilhoso nos depararmos com a graça e sabermos que o reino é muito maior do que as quatro paredes onde agimos nos domingos.

Dentro do episódio acima, lembro-me de Faraó no episódio onde Deus agia intervindo na história, endurecendo seu coração, como também dando escape ao povo Hebreu.

Quanto à ausência da graça é preciso atitude de alguém para que se cumpra Mt. 5.16: "Vejam as suas obras e glorifiquem ao Pai que está no céu".

Soli Deo Gloria

Postar um comentário

Abelhudos