A oração da propina de todos nós

 Muito se tem falado e discutido sobre o novo escândalo em Brasília, em que se viram envolvidos, além dos delinquentes- governadores-assessores já conhecidos, dois supostos cristãos e evangélicos. 


Depois de inúmeros desastres e falta de testemunho, se assim ainda podemos dizer, por parte de pastores e líderes protestantes no Brasil e fora dele nesse último ano, lá vai mais um:


 gravado, marcado, sacramentado, comentado, difamado.


O personagem que mais me chama a atenção nesta história é o pastor que proferiu a ORAÇÃO, Junior Brunelli,já denominada oração da propina. Lá ele reivindicou a guarda de Deus, o cerco, a ajuda sobrenatural do todo poderoso, para que nenhum mal os atingissem, ou seja, que independente do que fizessem eles ainda se sentiam filhos de Deus, amados, queridos, guardados.



Brunelli há um ano atrás recebendo "honras" da Pr. Ludmila e titulo




A reflexão é sobre como essa oração está arraigada em nossas igrejas, pela propina da oração, ou pelo agradecimento equivocado, sem ao menos percebermos, e nem sequer nos atentamos que também estamos agradecendo a Deus por algo ilicito ou barganhando com Ele? 


Não é assim que muitos se sentem também?Não é assim que agimos muitas vezes?


Propina, segundo o aurélio é suborno ou qualquer tipo de dinheiro pago em troca de favor ilícito.


Quantos de nós não vamos a igreja para cumprir cronograna religioso, atividades, achando que assim estaremos recebendo a benção de Deus. Estamos querendo comprar Deus em troca de algo favorável a nós.
Quantos de nós não damos ofertas e dizimos achando que assim as janelas dos seus irão abrir, como é pregado em nossas igrejas. 


Quantos de nós em nossas orações oramos e pedimos a benção por aquilo que não é da aprovação de Deus.


Qunatas vezes pedimos a proteção de Deus e a investida Dele contra os nossos "inimigos", em uma enrascada que nós mesmos entramos por querer, em pedir autorização ao Rei...


Quantos de nós, evangelicos, não pedimos a benção de Deus para casamentos frutos de adultérios, alegando que assim os casais estarão se retratando ou se acertando diante de Deus. 


Quantas vezes damos uma de inocentes, ou simplesmente entregamos para Deus, situações que são imorais, ou até amorais, e simplesmente aceitamos e ainda oramos por isso...


Fazemos momentos de oração especiais e agradecemos a Deus aos domingos por TANTAS BENÇAOS decorrentes de acordos ilegais de empresas, empregos que são extremamentes contrarios a vida cristã, aquisições, posturas nojentas, mas travestidas de trabalho honesto. 


Quantos de nós queremos pular a janela em um concurso público,  e a "luz" vem logo que conhecemos algum irmão servidor da prefeitura. Quantas vezes me ofereceram essa proposta....Depois estaria eu lá, agradecendo a Deus por ter passado em um concurso tão disputado.Benção de Deus...





legendado...




1 comentários:

Jessé Almeida disse...

Irmãos,

Os poderosos querem poder para distorcer a justiça. Lembro-me do profeta Habacuque

Hb. 1.4 - "Por esta causa a lei se afrouxa, e a justiça nunca se manifesta; porque o ímpio cerca o justo, e a justiça se manifesta distorcida"

Vamos nos levantar, precisamos!

Postar um comentário

Abelhudos